Os próximos sensores que poderão estar presentes no seu celular


(Fonte da imagem: Divulgação Motorola)

Há tempos que nossos telefones celulares deixaram de ser simples máquinas de fazer e receber ligações para se tornar itens indispensáveis em nosso dia a dia. Suas inúmeras funcionalidades adicionais, como localização via GPS ou internet wireless os transformaram em nossos assistentes digitais inseparáveis.

Além da gigantesca melhora na capacidade computacional, um dos principais fatores que contribuíram para que chegassem a esse ponto foi a adição de novos dispositivos sensoriais, permitindo que nossos smartphones interajam com o mundo a nossa volta das mais diferentes maneiras.

Muitas outras tecnologias sensoriais já estão em desenvolvimento e, em breve, poderemos fazer ainda mais coisas usando apenas o que temos no bolso. Algumas aplicações se destacam mais que as outras, mas as mais notáveis são:

NFC

(Fonte da imagem: Divulgação Google)

O uso do NFC já foi bastante abordado pelo Tecmundo, e suas aplicações são inúmeras. Essa tecnologia usa rádio frequência para comunicação a curta distancia, menos de 10 centímetros. Como o alcance é fisicamente limitado (diferente do Bluetooth que pode chegar a até 10 metros), torna-se ideal para aplicações como o acionamento de fechaduras eletrônicas, ignição do carro e até pagamento eletrônico.

Além disso, o NFC é nativamente compatível com o RFID (Radio-frequency identification), possibilitando usar o celular como um leitor de pôsteres e etiquetas de preço eletrônico. Imagine como seria poder baixar informações sobre o preço ou o valor nutricional de produtos no supermercado diretamente para o telefone, precisando apenas que você toque na embalagem com o aparelho em sua mão.

Uma parceria entre a Google e os serviços financeiros nos Estados Unidos colocaram em prática os primeiros sistemas de pagamento eletrônico e pretendem viabilizar o serviço para todo o país ainda este ano. Clientes do Citigroup Mastercard com a tecnologia PayPass vão poder aproveitar a novidade antes.

Localização Vertical

Microaltímetros em conjunto com o GPS possibilitariam indicar a altura do usuário em relação ao nível do mar, mas com precisão suficiente para determinar sua posição em um prédio.

Esse tipo de tecnologia iria facilitar muito a localização de cada pessoa em shopping centers, por exemplo, permitindo que usuário saiba a distancia da loja para onde ele quer ir. Aplicações semelhantes estão em funcionamento em estabelecimentos estadunidenses, mas fazendo o uso de mapeamento da rede Wi-Fi.

Condições climáticas

Usando sensores como o barômetro e o termômetro, seu celular poderia fazer previsões instantâneas do tempo, chegando próximo ao trabalho de uma estação meteorológica, sem a necessidade de uma conexão com a internet. Outra aplicação seria utilizar medidores de umidade do ar para determinar se o local onde o usuário está pode danificar o aparelho.

Humor do usuário

Sensores de batimentos cardíacos poderiam ajustar a lista de aplicativos de acordo com o humor do usuário. Outra aplicação é ajustar o nível de dificuldade em um jogo, por exemplo, usando o grau de excitação do jogador como parâmetro.

O uso de sensores biológicos tem um grande potencial para a área médica, e aplicativos que fazem uso da tecnologia já estão em desenvolvimento. Uma das funcionalidades seria alertar o usuário de quando ele deve usar seu medicamento para asma, a partir de leituras de seu ritmo cardíaco e respiratório.

Telas de múltiplas camadas

(Fonte da imagem: Divulgação Business Wire)

Tecnologias de telas de múltiplas camadas, ou MLD (Multi Layer Display), prometem deixar a interação com telas touchscreen ainda mais intuitivas, levando o conceito de haptics ao extremo.

Essas telas usam vários painéis de LCD sobrepostos para criar a sensação de profundidade. Dessa forma, a reação ao toque de um botão poderia ser ainda mais natural, já que a animação que destaca o botão acionado poderia saltar entre as camadas.

O uso prático da tecnologia já foi demonstrado durante o evento Wireless Japan, em um protótipo da KDDI. Os primeiros modelos a usar a tecnologia devem ser produzidos usando apenas duas camadas, mas os desenvolvedores afirmam que até seis telas já foram sobrepostas com sucesso.

Aplicações conjuntas

É provável que as aplicações mais impressionantes para todas as novas tecnologias sensoriais ainda estejam para ser formuladas, fazendo o uso da combinação de várias ao mesmo tempo.

O mesmo já foi observado com o iPhone: usando a localização GPS, bússola e o acelerômetro foi criado um App que traz informações sobre uma estrela, bastando apenas que o usuário aponte o aparelho para o céu. Só o tempo dirá o que o futuro aguarda para os dispositivos móveis.

Publicado em 31/05/2011, em Celular / Smartphone, Novidades e marcado como , , , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: