Sobrescrever o arquivo 7 vezes impede que ele seja recuperado?


Hoje em dia é muito comum comercializar equipamentos usados e partes de micro na internet, ainda mais se levarmos em conta a grande divulgação de sites especializados nesse ramo. Quando as peças são “simples” como memórias, placas e drives, não há o que temer, toda via quando falamos de HD é que a coisa complica… Será que ninguém vai recuperar meus arquivos, mesmo depois de formatá-los?

A resposta é sim, isso é possível e ainda por cima é facil! Isso porque, mesmo depois que o HD é formatado e todos os arquivos são apagados, ainda é possível recuperar na íntegra os dados que foram gravados. Na internet circulam diversos métodos que prometem solucionar esse problema.

Um deles é sobrescrever os arquivos sete vezes para que eles fiquem irrecuperáveis. A questão é: será que isso é verdade?

Então, mito ou verdade?

Na internet, é possível encontrar diversos fóruns falando a respeito de recuperação de dados, nos quais muitos usuários afirmam ser necessário escrever informações aleatórias várias vezes sobre um setor do disco para que os arquivos não possam ser recuperados.

Isso não é exatamente verdade. De fato, sobrescrever o espaço de memória em que um arquivo se encontrava com outro tipo de dado torna a recuperação do documento praticamente impossível. Porém, alguns testes provam que fazendo isso apenas uma vez já é o suficiente.

Existem diversos aplicativos que fazem uma formatação diferente daquela que estamos acostumados a realizar quando um sistema operacional é instalado no disco rígido. O chamado zero fill é um método de limpeza definitivo do HD, o qual consiste em preencher cada bit com o valor binário zero, como quando o disco sai de fábrica.

A versão gratuito do KillDisk, por exemplo, traz apenas a opção “zeroes-only”, a qual faz exatamente o processo descrito acima. Outra aplicação gratuita muito útil para preencher os bits do seu disco rígido com zeros é o Heidi Eraser.

Boa parte dos fabricantes de discos rígidos oferece alguma ferramenta própria para apagar definitivamente os dados do HD caso o usuário decida passá-lo para outra pessoa. O zero fill pode ser muito útil também quando você compra um dispositivo de armazenamento usado, pois é uma forma de garantir que não há nenhum vírus ou programa malicioso instalado.

Calma, não é milagroso

O processo de zero fill garante que usuários domésticos, com ferramentas comuns, não consigam recuperar os arquivos antes presentes nos HDs. Em alguns casos, nem mesmo aplicativos profissionais e peritos da computação forense conseguem reaver os bits que formam um documento.

Porém, existem centenas de programas e soluções desenvolvidas que não estão ao alcance do público geral, uma vez que são utilizados por organizações governamentais poderosas na recuperação de discos, utilizados em espionagens e outros tipos de crimes.

Dessa forma, se você é um pouco mais “paranoico” com a questão da segurança e privacidade dos dados presentes em seu HD, é bom saber que, para as ferramentas utilizada pelo alto escalão, não há como saber se o processo de zero fill é eficiente, a ponto de tornar um arquivo totalmente irrecuperável.

Conclusão

Sim, o ato de sobrescrever um arquivo com dados aleatórios o torna praticamente irrecuperável. O mito dessa história está na quantidade de vezes que uma informação precisa ser escrita sobre outra para que os demais usuários não consigam acessá-la facilmente. Utilizando a ferramenta certa, realizar o processo apenas uma vez é o suficiente para que sua privacidade não seja prejudicada.

Publicado em 11/07/2011, em Informática, Tutoriais e marcado como , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: